O Menino Que Nasceu Nas Alturas

Ele nasceu nos ares, virou piloto profissional, escapou de cinco acidentes de avião e morreu  num bimotor Seneca que caiu em Manaus.

Para a filha, a habilidade do pai também deve ter evitado uma tragédia maior, pois a aeronave caiu ao lado de um colégio e a poucos metros de um conjunto de casa. O homem em questão chamava-se Miguel Vaspeano Lepeco –nome dado justamente porque nasceu a bordo de um avião da Vasp, em 1957. Ele não caiu sobre as casas, sabia que a tragédia seria maior”, diz a filha, Andréa Lepeco, 32.Num dos casos, o comandante Vaspeano, como era conhecido nos hangares, salvou sete pessoas: a mulher, grávida, dois filhos e mais quatro parentes.Era o ano de 1987. A filha do piloto diz que o voo seguia de Goiânia para Itaituba (PA), onde a família morava nos anos 80. O avião sofreu uma pane na região de Maués (AM) –a mesma cidade que seria o destino da viagem de anteontem– e perdeu contato com a torre em plena selva amazônica.

A mulher do piloto, Meire de Lima Lepeco, 50, estava grávida do filho mais novo, Miguel Vaspeano Lepeco Júnior, hoje com 22. “Ele avisou pra nós que só tinha oito minutos de combustível. A gente olhava para baixo e só via água e mato. As pessoas começaram a chorar porque não sabiam nadar.”

Ele não podia pousar sobre as árvores. “Mas parece que Deus olhou e apareceu uma beira de praia. Aí ele conseguiu pousar.”

Naquele avião, diz ela, estavam as paixões do pai: a aviação e a família. “Ele também tinha orgulho porque foi a primeira criança a nascer dentro de um avião em pleno ar, no mundo.”obituario_210510090520

O fato ocorreu porque, orientada pelos médicos, em 10 de junho de 1957, a mãe do piloto, Maria Alícia Ribeiro Lepeco, voou de Maringá para Curitiba para fazer o parto em um hospital com mais recursos.

Segundo Andréa, o parto era de risco, mas, antes de pousar, a criança acabou nascendo durante o voo da Vasp. “O parto foi realizado por um comissário. O nome Vaspeano foi sugerido pelo comandante do avião, Eleude Ziokoviski, que virou padrinho dele’, disse.

Com o nascimento no avião da Vasp, Vaspeano ganhou passagens aéreas até o fim da empresa, que faliu em 2008.

Esse post foi publicado em Historias da Aviação, VASP e marcado . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s