Notícias Vasp – 638 – TJSP – Só receberá da Vara de Falência quem não recebeu da Vara VASP (TRT)

foto29leg-201-vasp-e1 Posted 02/12/2017 às 12:19
6. TJ-SP

Disponibilização: segunda-feira, 13 de novembro de 2017.Fóruns Centrais Fórum João Mendes Júnior 1ª Vara de Falência e Recuperações Judiciais

Processo 0070715-88.2005.8.26.0100 (000.05.070715-9) – Falência de Empresários, Sociedades Empresáriais, Microempresas e Empresas de Pequeno Porte – Recuperação judicial e Falência – Viação Aérea São Paulo Sociedade Anônima – Vasp – Ibm Brasil-indústria, Máquinas e Serviços Ltda e outros – Agropecuária Vale do Araguaia Ltda – – José Fortunato da Conceição Filho – – VALDIR DOS SANTOS – – Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo – DAESP – – Marcos Antonio Souza de Almeida – – Fabio Junior Simião – – Silvia de Souza Patez – – Orlando Wing Jang – Me e outros – Josivam Marano e outros – ANTONIO CLAUDIO FIRMINO DE OLIVEIRA – – Andrea Caldeira Ursini e outros – MARCIO JOSÉ BASILE – – SANDRA LIRA DE GUSMÃO SOBRAL e outros – DHL Express (Brazil) LTDA – – Valter Cesar Silva do Santos – – SUL AMÉRICA COMPANHIA NACIONAL DE SEGUROS – – TIAGO SIMÕES PEREIRA – – José Lopes de Araújo e outros – EDUARDO TADEU PELLEGRINELLI e outros – Aos 08 de junho de 2017, às 14h00 min, na sala de audiências da 1ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais, do Foro Central Cível, Comarca de SÃO PAULO, Estado de São Paulo, sob a presidência do MM. Juiz de Direito Dr. JOÃO DE OLIVEIRA RODRIGUES FILHO, comigo Escrevente ao final nomeado, foi aberta a audiência de gestão democrática. Cumpridas as formalidades legais e apregoadas as partes, compareceram a representante do Ministério Público, o administrador judicial, Dr. ALEXANDRE TAJRA, o preposto do administrador judicial, Dr. SÉRGIO FRANCISCO NEVES LANCE. Compareceram também as partes interessadas no processo em epígrafe: DR. JOSÉ VANDERLEI MASSON DOS SANTOS, CRC/SP 124747/0-7, DR. IVAN CLEMENTINO, OAB/SP 66.509, DR. WESLEY VINICIUS GALHARDO DA SILVA, OAB/SP 170/992, DRA. ARIANA LIMA DE SOUZA, OAB/SP 394.718, DRA. SÂMARA VIEGAS DE MORAES, OAB/MT 9048, DR. CAIO HENRIQUE CARVALHO DE SIQUEIRA LIMA, OAB/SP 377.989, DR. JONATAS GONÇALVES DE OLIVEIRA, OAB/SP 379.444, DR. DOMINGOS PEREIRA JÚNIOR, OAB/SP 264.700, DR. HOANES KOUTOUDJIAN, OAB/SP 30.807, DR. LEANDRO OZAKI HENRIQUE, OAB/SP 292.944, DR. FELÍCIO ALVES DE MATOS, OAB/SP 109.165, SR. MARCOS VENICIO SOARES DE CARVALHO SANTOS, CPF 060.598.418-21, SRA. NORMA DE FÁTIMA ARIOLI, RG 9.303.638-3, SRA. VERA LÚCIA SALGADO, CPF 530.340.748-91. Iniciados os trabalhos, pelo MM. Juiz foram tratados dos seguintes assuntos:1- Foram prestados os esclarecimentos sobre os pontos tratados na última audiência de gestão democrática. 2 Diante da dificuldade encontrada para a venda dos Direitos Possessórios sobre o imóvel denominado “B”, localizado na Rua Nhu-Guassú, nºs. 322, 306, 302, 278 e 274 com área total de terreno de 1.800,00 metro quadrado e área construída de 1.184,00 metros quadrados, conforme laudo de avaliação, transcrições 59.794, 100.659, 100.837 do 11º Oficial de registro de Imóveis da Comarca da Capital/SP. Contribuinte n.º 086.302.0148-7, onde nos autos 0832951-30.2008.8.26.0100 foi apresentada proposta após terceira tentativa de venda sem licitantes, pelo Sr. Albano Pereira de Matos, consistente em 50% do valor da avaliação atualizado, com sinal de 20% até 24 horas da homologação da proposta e o restante em até 12 parcelas mensais e sucessivas atualizadas com base na Tabela Prática do TJ/SP, acrescida de juros simples de 1% ao mês, valor este não considerado vil, além da reiteração de perigo de invasões sobre o imóvel, os presentes foram instados à homologação da proposta apresentada, tendo todos concordado com a mesma, a qual também não contou com oposição do Ministério Público. Pelo exposto, o MM Juízo julgou homologada a proposta, determinando translado de cópia desta decisão para os autos do incidente respectivo e sua imediata publicação para que possa surtir os efeitos desejados. 3 O administrador judicial prestou esclarecimentos sobre o pagamento dos débitos extraconcursais, determinado por V. Acórdão do Eg. TJ/SP. Nesse mesmo sentido foi divulgado para as partes a estratégia que pretende adotar para o feito nos seguintes termos: o administrador judicial e o contador farão levantamento sobre todos os incidentes relacionados à falência da VASP, com o objetivo de apurar os incidentes de habilitação de crédito ainda não julgados, apuração dos bens e direitos passiveis de venda ou a receber e os demais incidentes sobre os quais exista alguma outra pendencia ou possam ser remetidos ao arquivo. O prazo previsto para tal levantamento terminará em março de 2018, podendo ser excepcionalmente prorrogável. Com base nos levantamentos efetuados o Juízo buscará adotar providencias para o julgamento dos incidentes pendentes até o final do primeiro semestre de 2018, podendo ser excepcionalmente prorrogável. Paralelamente a tais levantamentos, o Juízo já determinou expedição de mandado ao Banco do Brasil, com o objetivo de obter informações completas sobre todas as contas bancárias vinculadas à falência da VASP, a unificação de contas e o fornecimento dos respectivos extratos. Com a obtenção das informações, será instaurado incidente exclusivamente destinado á exposição dos dados bancários relativos a conta da massa falida. Sem prejuízo, com levantamento dos incidentes por parte do administrador judicial, visando o pagamento dos credores extraconcursais e dos demais, será apresentado QGC provisório, já apurados os credores extraconcursais trabalhistas que ainda tem o direito a pagamento, ressalvados aqueles que já obtiveram o pagamento realizado pela Justiça do Trabalho (Vara VASP). Com a obtenção das informações bancarias e do QGC provisório nos termos acima mencionados os pagamentos serão iniciados. 4 Foi esclarecida as questões atinentes ao edifício sede. Primeiro, a intenção do Juízo de promover o julgamento de mérito relativo a questão de propriedade do edifício sede da VASP. Em relação a pretensão de locação do aludido bem, tendo em vista a existência de interessados em promover empreendimento no local e a necessidade de oitiva da ANAC, o Juízo determinou, com urgência, a expedição de mandado destinado à ANAC, para que forneça informações relacionadas a eventuais impedimentos de atividades empresariais exercidas em imóvel limítrofe à aeroportos, com vistas a proteção da operação aeroportuária. A resposta da aludida agência deverá ser enviada no prazo de 15 dias e protocolizada nos autos do incidente 0832962-59.2008.8.26.0100. Cumpra-se o mandado com urgência. 5 O administrador judicial prestou esclarecimentos sobre as vendas dos bens móveis da massa localizados no aeroporto de congonhas. 6 Ação tarifária. De acordo com a vontade dos presentes, tendo em vista o valor da proposta ofertada pela Ernst Young Assessoria Empresarial LTDA., solicitar ao escritório WALD Antunes Vita Longo Advogados Associados, o qual já presta diversos serviços para a massa, para que apresente, no prazo de 05 dias, nos autos de incidente 0028950-25.2014.8.26.0100 estimativa do valor dos ativos de cada uma das ações de repetição de indébito e de ICMS, contra a Fazendas Públicas Federal e Estaduais respectivas, para fins de avaliação da venda da expectativa dos direitos decorrentes de tais demandas. Fica designada audiência de gestão democrática a ser realizada 19/04/2018, às 14h. NADA MAIS. Saem os presentes intimados. Lido e achado conforme vai por mim assinado. Eu, Amanda Cortesini Kauffmann, digitei.

Anúncios
Publicado em VASP | Deixe um comentário

Estado de São Paulo passa a responder por dívida da Vasp

Publicado em: 29/11/2017 | 08h 01m 51s

Ana Paula Paiva / Valor Economico

foto29leg-201-vasp-e1Carlos Duque Estrada Júnior: decisão está em perfeita consonância com a jurisprudência pacífica dos tribunais superiores

A Vara Vasp decidiu responsabilizar a Fazenda Pública do Estado de São Paulo pelo pagamento do restante da dívida trabalhista da falida companhia aérea. A juíza do trabalho Anna Carolina Marques Gontijo incluiu o governo estadual no polo passivo dos processos trabalhistas que ainda não foram quitados. Ainda cabe recurso.

A estimativa é de que ainda restam cerca de R$ 2,1 bilhões, em valores atualizados, a serem quitados, segundo o advogado Carlos Duque Estrada Júnior, que assessora cerca de 600 trabalhadores. A dívida em março de 2015, quando a Vara Vasp começou a pagar ex-funcionários, era de R$ 1,8 bilhão, acrescenta o advogado. Porém, os processos sofreram correção de 1% ao mês e houve um acréscimo de cerca de R$ 400 milhões com a habilitação de ações de outros Estados.

De 2015 para cá, foram pagos pela Vara Vasp, em decorrência da venda das fazendas pertencentes ao ex-controlador da companhia Wagner Canhedo, cerca de R$ 500 milhões.

Como a dívida ainda é alta e a recuperação judicial da companhia aérea iniciou-se em 2005, ou seja, há 12 anos, o advogado resolveu entrar com uma petição em cada um dos 600 processos. Nela afirma que “não pode o trabalhador ficar aguardando sem qualquer prazo ou data prevista para recebimento de crédito de caráter alimentar”.

Na decisão (processo nº 0050700-83.2005.5.02.0014), a juíza entendeu que a Fazenda estadual é sócia da Vasp, tanto que entrou com uma ação em 1999 para restabelecer sua participação acionária de 40%. Nesse processo, que tramitou na 13ª Vara da Fazenda Pública de São Paulo, não cabe mais recurso (nº 1.713/1999).

De acordo com a magistrada, “a responsabilidade dos sócios decorre de lei e é sempre subsidiária em relação à empresa devedora. Nessa condição, esgotados os meios de localização dos bens patrimoniais da reclamada, deverão os sócios integrar a lide, figurando como litisconsortes”.

Mesmo com redução posterior na participação societária da companhia, a Fazenda Pública Estadual sempre manteve várias prerrogativas na sociedade, segundo a decisão da magistrada. Entre elas, a ocupação de pelo menos um assento no Conselho de Administração, direito de se opor às alterações estatutárias e participação na política de distribuição de dividendos.

A decisão ainda cita julgamento do Tribunal Superior do Trabalho (TST) que reconhece o Estado de São Paulo como sócio da Vasp. Assim, determina que responda pelos débitos trabalhistas nos termos do artigo 28, parágrafo 2º, do Código de Defesa do Consumidor.

Segundo o dispositivo, a desconsideração da personalidade jurídica da sociedade também será efetivada quando houver falência, estado de insolvência, encerramento ou inatividade da pessoa jurídica provocados por má administração. E nesse caso, de acordo com o parágrafo 2º, “as sociedades integrantes dos grupos societários e as sociedades controladas, são subsidiariamente responsáveis pelas obrigações decorrentes deste código”.

A decisão foi estendida para a ação civil pública movida pelo Ministério Público do Trabalho contra a companhia, em 2005. Nessa ação, Wagner Canhedo assumiu a responsabilidade pelas dívidas da empresa com seus bens pessoais.

Para Duque Estrada, a decisão está em perfeita consonância com a jurisprudência pacífica dos tribunais superiores no sentido de que sócio pessoa física, jurídica ou ente público responde solidariamente pelos débitos de natureza trabalhista quando comprovado que tinha poder de gestão, fiscalização, decisão e participação direta nos lucros.

No caso, ficou demonstrado, segundo o advogado, que a Fazenda Pública do Estado de São Paulo era sócia com poder de gestão, com assento nos conselhos de administração e fiscal. “Então deve responder pelos débitos trabalhistas da Vasp, assim como tem respondido com seus bens pessoais e de suas empresas o Sr. Wagner Canhedo e família.”

Duque ainda acrescenta que a lei que rege a falência só impede o redirecionamento das execuções contra os bens da falida, “mas não isenta e nem impede que as execuções prossigam contra os seus sócios e empresas coligadas, sejam elas privadas ou públicas”. Para ele, o entendimento sobre a responsabilidade solidária da Fazenda Pública pela dívida da Vasp já é pacífico no TST desde 2014.

Por meio de nota, a Procuradoria-Geral do Estado de São Paulo (PGE-SP) informou que, “assim que for formalmente intimado, o Estado recorrerá da decisão”.

Por Adriana Aguiar | De São Paulo

Fonte : Valor Economico
—————————————-
3 anos atras ja se discutia isso…..
Fazenda de São Paulo é condenada a pagar dívida da Vasp

22/03/2014
22 de março de 2014, 14h08
A Fazenda de São Paulo foi condenada a pagar uma dívida trabalhista da Vasp. A decisão é do Tribunal Superior do Trabalho que entendeu que o governo de São Paulo é acionista da Vasp, com 40% do capital total, e portanto solidário nas dívidas. Segundo advogados trabalhistas, a decisão pode abrir precedente para que a Fazenda paulista seja responsabilizada por outras dívidas da companhia. As informações são da Folha de S.Paulo.

Os credores da Vasp começaram a entrar com ação contra o Estado em 2008, pouco antes da decretação da falência da empresa aérea, então em recuperação judicial. Ainda em 2008, a Fazenda paulista venceu uma ação movida e conseguiu anular uma assembleia de acionistas fraudulenta conduzida por Wagner Canhedo, presidente da Vasp. Naquela assembleia, o acionista majoritário da então recém privatizada Vasp diluiu a participação do Estado: de 40% para 4%.

Com a decisão judicial de 2008 e o aumento da fatia do Estado paulista na empresa, advogados passaram a envolver o Estado nas ações trabalhistas em curso.
Segundo o procurador-geral do Estado, Elival da Silva Ramos, cerca de 75% das ações redirecionadas contra o Estado não tiveram sucesso. Ele diz que a ação vitoriosa é isolada e relativa a um único trabalhador (Halim Halabi), no valor de R$ 15 mil.

Ramos afirma que a ação ainda pode ser revertida no Supremo, que poderá avaliar a questão de competência. Decisões do Supremo relacionadas a demandas trabalhistas da Varig, por exemplo, foram todas remetidas para o Tribunal de Justiça, para a Vara de Recuperação Judicial responsável pelo caso.

Com uma dívida de R$ 3,3 bilhões, sendo quase R$ 2 bilhões com a União, a valores da época, a Vasp parou de voar em 2005. No mesmo ano, ela entrou com pedido de recuperação judicial.

Direitos trabalhistas
Mais de 6 mil trabalhadores aguardam na Justiça para receber seus direitos. Nos próximos meses, eles começam a receber uma parcela dos R$ 310 milhões arrecadados com o leilão da fazenda Piratininga, de Canhedo.

Os demais leilões de venda de ativos da companhia feitos até o momento têm sido usados para pagar os advogados e o administrador judicial -uma conta de cerca de R$ 200 mil por mês, desde junho de 2005, segundo Carlos Augusto Duque-Estrada Jr, advogado do sindicato de aeroviários paulistas.

O procurador do Estado diz que ainda que haja uma ação civil pública que concentre todas as ações trabalhistas, as execuções são individuais. Se o Estado tiver que arcar com as dívidas das cerca de 25% de ações perdidas no TST, o próximo passo será acionar a massa falida. Só as dívidas trabalhistas são estimadas em R$ 1,5 bilhão.
Fonte-Conjur

Publicado em VASP | Deixe um comentário

Piscinão de Ramos de Tokyo

fotos-nuvens-piloto4-0617-1400x800Abaixo do chão, 19 milhas ao norte de Tokyo, é uma façanha de engenharia realmente incrível. O projeto G-Cans é o maior dreno de agua na Terra, uma série colossal de silos e túneis subterrâneos, construídos para proteger Tokyo de inundações durante as estações chuvosas e tufões. Seu salão principal (na verdade um enorme tanque de água) é sustentado por 59 colunas,  é conhecido como o “Templo subterrâneo”.

A facilidade é gratuita para visitas guiadas e as pessoas interessadas procuram pela Another Tokyo, um site japonês que apresenta locais fora do comum, recentemente inaugurado. Isto é o que eles encontraram!3856ad45-s

G-Cans (Shutoken Gaikaku Hōsuiro, ou Canal Metropolitano de Descarga Subterrânea Exterior) está localizado em Kasukabe, no leste de Saitama. A área é historicamente propensa a inundações, e a instalação de G-Cans reúne as águas pluviais de pelo menos cinco rios diferentes. Custou mais de 200 milhões de ienes (US $ 2 Bilhões) e levou 17 anos para ser construida, sendo concluído em 2009. Devido às suas proporções épicas e a sua beleza subterrânea, ele também esta sendo usado como cenário para programas de TV e comerciais.cd91c9af-s

Com uma altura de 25 m, e esticando-se por 177 m, os visitantes ficam minusculos pela grande escala. O teto é sustentado por pilares enormes. Cada uma pesando 500 toneladas, elas também funcionam como contrapesos, evitando que o tanque, tão grande como um campo de futebol, suba para a superfície.422b9802-s

Depois os computadores da Central de Operações fazem o descarte da agua lentamente nos rios sem provocar danos.39b32bb3

Publicado em Impressoes do Japão | Deixe um comentário

As grandes companhias aéreas do passado

Aviões que cortaram nosso céu e deixaram saudades

Por Roosevelt Garcia-Veja São Paulocapa9

(Reprodução/Veja SP)-

A aviação comercial no Brasil começou cedo, ainda nos anos 20. Durante sua trajetória, tivemos grandes representantes no cenário mundial, inclusive entre as melhores do mundo. Relembre as principais companhias aéreas do país que fizeram história, e hoje, infelizmente, não existem mais. 

  • Panair

A primeira grande companhia aérea do Brasil era ligada à americana Pan Am. Começou a operar em 1929, com o nome de NYRBA (New York, Rio e Buenos Aires). Em 1930, a Pan Am comprou a NYRBA, e o braço brasileiro da empresa passou a se chamar PanAir. Dominou o mercado nacional até 1965, quando foi extinta. A PanAir se mantinha na vanguarda de vôos nacionais e internacionais. Por muito tempo, o “Padrão Panair” era sinônimo de excelência em serviços aéreos.panair

(Reprodução/Veja SP)-

  • Cruzeiro

Fundada em janeiro de 1943, a Serviços Aéreos Cruzeiro do Sul tinha origem em uma companhia alemã chamada Condor Syndikat. Com a Segunda Guerra Mundial, entretanto, a empresa se desvinculou de qualquer origem alemã. A Cruzeiro, como ficou conhecida depois, começou a operar em rotas nacionais e para Buenos Aires. Em 1947, voava para Porto Rico, Washington e Nova York. Tornou-se rapidamente uma das principais companhias aéreas do país. Nos anos 70, porém, fechou as portas, sendo adquirida pela Fundação Rubem Berta, que controlava a Varig. Por algum tempo, a Varig ficou conhecida como Varig/Cruzeiro.cruzeiro

(Reprodução/Veja SP)-

  • Transbrasil

Fundada em 1955, a Transbrasil foi criada originalmente como Sadia Transportes Aéreos, para transportar carne da Sadia de Santa Catarina a São Paulo. A ideia deu tão certo que, no ano seguinte, a companhia já transportava passageiros em rotas ligando o sul do país à capital paulista.

Durante os anos 60 e 70, cresceu rapidamente, adquirindo companhias menores e ampliando a área de atuação, consolidando a empresa como a terceira maior do Brasil nos anos 70. Nas décadas de 80 e 90, planos econômicos desastrosos no país prejudicaram os lucros da Transbrasil, que viveu em crise até ser desativada em 2001.

transbrasil

(Reprodução/Veja SP)-

 Vasp

Com sede na cidade de São Paulo, a Vasp começou a voar em 1933, ligando a capital ao interior do estado. Inicialmente operando a partir do Campo de Marte, transferiu suas operações para Congonhas em 1934. No ano seguinte foi estatizada, recebendo fundos do governo de São Paulo. Durante as décadas posteriores, cresceu vertiginosamente, sendo responsável, entre outras coisas, por trazer os primeiros Boeings para o país, em 1969.

No início da década de 90, foi privatizada e começou uma ousada política de expansão internacional, com vôos para a Ásia, Europa, Estados Unidos e África. Infelizmente, o crescimento foi mais rápido do que a administração podia prever, e as finanças saíram do controle. Com dívidas e paralisações de funcionários, deixou de operar em 2005, e teve a falência decretada em 2008.vasp

(Reprodução/Veja SP)-

 

  • Varig

A Viação Aérea Rio Grandense foi a primeira companhia aérea legitimamente brasileira a ser fundada, em 1927, operando inicialmente em rotas ligando o sul ao sudeste do país. Nas décadas de 30 e 40, expandiu sua área de atuação para as regiões centro-oeste e nordeste. Nos anos 50, a Varig já tinha uma rota que ligava Porto Alegre a Nova York, com escalas em São Paulo e no Rio, além de Belém e Santo Domingo, na República Dominicana.

Em 1959, tinha os primeiros jatos comerciais do mundo, os Caravelle. Nos anos seguintes, chegou a ser considerada uma das melhores companhias aéreas do mundo. As renovações de sua frota eram constantes, e a companhia sempre investia em inovações tecnológicas, principalmente no que diz respeito ao conforto dos passageiros.

Apesar disso, os balanços financeiros eram negativos por anos seguidos, levando a companhia a enfrentar uma enorme crise. E empresa entrou em recuperação judicial em 2005, e sua falência foi decretada em 2010.

varig

(Reprodução/Veja SP)-

 

Publicado em Historias da Aviação, VASP | Deixe um comentário

Centro Treinamento da Varig

DERROTA DA UNIÃO
Centro de Treinamento da Varig ficará com massa falida da empresa, decide TJ-RJ
O Centro de Treinamento da Varig ficará com a massa falida da companhia aérea. A decisão é da 4ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, que confirmou a sentença da 1ª Vara Empresarial da capital.

Avaliado em R$ 70 milhões, o Centro de Treinamento é responsável pela formação de pilotos e comissários de todas as companhias nacionais e de algumas internacionais. O local é alvo de uma disputa com a União.

A decisão, baseada no voto do desembargador Antônio Iloízio Barros Bastos, acolheu o pedido da massa falida, anulando a decisão do ministro da Aeronáutica, que quis de volta o terreno usado por funcionários da Varig, na Ilha do Governador, sob a alegação de que a companhia desrespeitou a cláusula que proibia a realização de atividades diferentes do serviço de treinamento.

“Nessa perspectiva, o fato de a área ser usada, também, por duas empresas do mesmo grupo econômico que a autora e que desempenham esse serviço de treinamento e capacitação, e o fato de pequena parte da área ter sido usada como local de lazer de familiares de funcionários não é causa bastante para opor uma cláusula contratual cuja aplicação fria se mostra dissociada da realidade e viola a função social do contrato, sobretudo em momento de crise da autora”, afirmou em voto o desembargador. Com informações da Assessoria de Imprensa do TJ-RJ.

Processo 0035805-84.2015.8.19.0001
Fonte-Consultor Juridico
VARIG Flight Traning Center

A história do VARIG Flight Traning Center teve inicio em Porto Alegre, no ano de 1945. No final dos anos 60 a estrutura foi transferida para o Rio de Janeiro, criando o Centro de Treinamento de Operações de Vôo.
Hoje o centro conta com 30 salas de aula, 7 simuladores de voo, 57 computadores para treinamentos, 5 FTD e 4 replicas de cabine de passageiros. Além do treinamento de pilotos, o VARIG Flight Traning Center também realiza treinamento para comissários, treinamento de sobrevivência na selva e no mar, combate ao fogo à bordo.

vem.ht30vem.ht31vem.ht32vem.ht33vem.ht34vem.ht35vem.ht36

 

Publicado em Historias da Aviação | Deixe um comentário

Mantenha Acesa a Chama

O VALOR DE UM GRUPO
vale a leitura!
Um homem, comparecia assiduamente às reuniões de um grupo de Amigos, e sem comunicar à ninguém, deixou de participar de suas atividades.
Depois de algumas semanas, um Amigo, integrante desse grupo, decidiu visitá-lo.
Era uma noite muito fria!
lareira-001O Amigo o encontrou na sua casa, sozinho, sentado diante da lareira, onde o fogo estava brilhante e acolhedor.
Adivinhando o motivo da visita do seu Amigo lhe deu as boas vindas, e aproximando-se da lareira lhe ofereceu uma cadeira grande em frente à chaminé e ficou quieto, esperando.
Nos minutos seguintes, houve um grande silêncio, pois os dois homens somente admiravam a dança das chamas em volta dos troncos de lenha que queimavam.
Depois de alguns minutos, o Amigo examinou as brasas que se formaram e cuidadosamente escolheu uma delas, a mais incandescente de todas, empurrando-a para fora do fogo.
Sentando-se novamente, permaneceu silencioso e imóvel.
O anfitrião prestava atenção a tudo, fascinado e também quieto.
Dentro de pouco tempo, a chama da brasa solitária diminuiu, até que após um brilho discreto e momentâneo, seu fogo se apagou em um instante mínimo.
Dentro de pouco tempo, o que antes era uma festa de calor e luz, agora não passava de um frio, morto e preto pedaço de carvão, recoberto de uma camada de cinza espessa.
Nenhuma palavra tinha sido pronunciada desde a protocolar saudação inicial entre os dois amigos!
Antes de preparar-se para ir embora, o amigo, movimentou novamente o pedaço de carvão já apagado, frio e inútil, colocando-o novamente no meio do fogo.
Quase que imediatamente voltou a desprender-se uma nova chama, alimentado pela luz e o calor das labaredas dos outros carvões em brasa e ao redor dele.
Quando o Amigo se aproximou da porta para ir-se embora, seu anfitrião lhe disse:
*OBRIGADO PELA SUA VISITA E PELO BELÍSSIMO SERMÃO……*
Retornarei ao grupo de *AMIGOS* que muito bem sempre me faz …
*Para Reflexão!!!*
Aos *”Amigos”* membros de um grupo, sempre vale a pena lembrar, que eles fazem parte da *”CHAMA”* do grupo e que separado do mesmo perdem todo seu brilho.
Aos Amigos de um grupo, vale a pena sempre lembrar-lhes que também são responsáveis de manter acesas as chama do *”ENCONTRO”* entre cada um dos seus membros e de promover a união entre todos eles, para que o fogo seja sempre realmente forte e duradouro.
Uma família se mantém com a chama acesa quando os membros não esquecem que todos são importantes no barco da vida.
Cada madeira que constitui o feixe não é igual e nem queima da mesma forma, porém o conjunto emite luz intensa e aquece muito mais a todos e o ambiente que vivem.
Nenhum de nós é melhor que todos nós juntos!!!
Muito obrigado a cada um de voces que contribui da melhor forma que lhe é possível ao nosso grupo!

Publicado no Grupo Voluntarios da Vasp-lembrando que um dos encontros dos Vaspeanos Chama-se Vasp ,A Chama Que Não Se Apaga.bxTrataEncontro VASP 2016 002

Publicado em VASP | Deixe um comentário

Um voo no mais antigo avião em operação no Brasil

A experiência de embarcar com gorro e óculos em um biplano fabricado em 1933 e sentir o vento no rosto remonta aos primórdios da aviação
Por Giuliano Agmont em 2 de Novembro de 2017fleet_fernando_monteiro
Foto Fernando Monteiro

Um convite tão inesperado quanto irrecusável. Ao lado desta raríssima e bem-conservada máquina vermelha, sinto uma estranha convicção. Jamais poderia declinar diante de uma oportunidade generosa como esta: voar no mais antigo avião em operação do Brasil.

O biplano monomotor Fleet fabricado no Canadá em 1933 tem o porte de um impávido puro-sangue. Mira o horizonte com uma serenidade inabalável, forjada em seus mais de 80 anos de existência. Recebo um gorro de couro com um par de óculos acoplado que remontam ao princípio do século passado. “Só faltou o cachecol”, penso.

Com apenas cinco anos a menos do que seu clássico, o piloto e dono da aeronave é uma dessas velhas águias que preservam a contagiante vitalidade de um menino sonhador sem perder a serenidade de um aviador com mais de 50 anos de “pé e mão”. Voar, afinal, é uma das sagradas circunstâncias em que homem e máquina, através das nuvens, assumem uma só silhueta.

Ronco dócil e vigoroso

Piso na base da asa para entrar na segunda célula do biplace. Apoio as mãos sobre a fuselagem e mergulho as pernas para dentro do cockpit. O assento é confortável. Enquanto fixo o cinto de segurança, o comandante dá a ordem para que o mecânico acione as hélices. O ronco do motor radial Kinner B-5 de cinco cilindros (aparentes!) é dócil e vigoroso. São 125 cavalos de potência, que levantam grama e poeira nas proximidades do hangar. Posiciono os óculos e sinto o solavanco dos primeiros movimentos da máquina. Estamos partindo.

O biplano faz táxi até a cabeceira 22 do Aeródromo Fazenda Vale Eldorado, no interior de São Paulo, uma pista particular em torno da qual nasceu um condomínio. Além do manche, noto os cabos dos comandos traseiros passando pelo assoalho. “Não obstrua nada”, ouço em meio à barulheira do motor. O avião avança sobre o asfalto e ganha aceleração. Metros adiante, a cerca de 100 km/h, deixa o solo. Alçamos voo a bordo de uma relíquia com mais de oito décadas de operações.

O vento no rosto extasia. O Fleet estabiliza a uma altitude não muito elevada. Olho para cima e, por obra e graça do destino, um pássaro cruza sobre nossas cabeças no sentido contrário. Viro o pescoço e, sem a pressurização ou o aperto de uma cabine, desfruto da sensação de “voar de verdade”.

O som estrepitoso do motor é parte do pacote, assim como o cheiro do combustível queimando. “É como voar com uma motocicleta”, dizem os aviadores. Após a primeira curva, deixo-me tomar pela satisfação de reviver o que os pioneiros da aviação inventaram. Com um dos braços para fora do cockpit e a brisa batendo forte na cara, tento dizer algo. Em vão. Com o barulho, opto pela comunicação por gestos, e coloco o polegar em riste.

Rasantes

O passeio ganha ares mais gráceis. O clima está agradável. Sol e calor apesar da altitude e do inverno. Executamos uma sequência de rasantes no sentido longitudinal da pista antes de iniciar a preparação para pouso. Perfazemos uma confortável aproximação. O toque na pista é forte. Após a chacoalhada, o avião manobra e regressa majestoso para o hangar.

A magnificência do Fleet desligado comove os mais atentos. Neste raro exemplar há até autógrafos de Richard Bach, escritor do clássico Fernão Capelo Gaivota, que usa a história de uma gaivota para falar sobre liberdade, aprendizagem e perdão. “Ele é um apaixonado pelo Fleet e ficou louco quando viu o meu”, diz o dono da máquina. Metáfora e realidade nas nuvens, quem diria?

Original: http://aeromagazine.uol.com.br

Publicado em Historias da Aviação | Deixe um comentário

Algumas coisas que sinto falta do Japão

Você finalmente fez a sonhada viagem para o Japão! Você viu as paisagens, gostou dos sons e saboreou a deliciosa comida ao longo do caminho.Pokemon Plane | Avión Pokemón Mas o tempo voa quando você está se divertindo e, antes de conhecer tudo, é hora de ir para casa.Para relembrar:

1. Lojas de conveniênciaconvenience-store-bento-japan-768x576

loja de conveniência/ bentos

Crédito: Amy_Jane

As lojas de conveniência no Japão são incríveis. Você pode encontrar quase tudo que você precisa para passar o dia, desde artigos de papelaria até cueca e eles estão praticamente em todos os lugares.Mas o que você realmente sentirá falta é a variedade de deliciosos bentos, sundaes e sobremesas que você pode se esbaldar. Eles são tão convenientes e tão bons!Compare isso quando voltar para casa onde a coisa mais próxima que se assemelha a comida real nesses locais e uma loja de conveniencia de posto de gasolina.

2. Washletswashlet-japan-768x568

Crédito: japantimes.co.jp

Eles podem ser um pouco intimidantes no início com todos esses botões misteriosos, mas uma vez que você sentou num sanitario, você vai se perguntar como você já viveu sem eles.É 2017, temos carros que dirigem sozinhos e computadores que podem vencer humanos em Go – por que não temos assentos de banheiro quentes que lavam, secam e desodorizam até agora? Infelizmente, até chegar ao final dessa materia, o Japão é o único lugar onde você terá a melhor experiência de banheiro no mundo.

3. Serviço

shiba shop assistante japãoshiba-shop-assistant-japan-768x576

Crédito: lifewithdogs.tv

Quem não gosta de entrar em uma loja e ser recebido por um coro de assistentes de loja alegres? E vai além de saudações também – em algumas lojas como Tokyu Hands você pode comprar algo tão pequeno como uma caneta ¥ 100 ou borracha e tê-lo lindamente presente embrulhado, de graça.Sempre que viajo para fora do Japão, lembro o quanto eu gosto desse bom serviço. Especialmente quando eu estou de pé no caixa do restaurante à espera de pagar pela minha comida e todos os que la trabalham,passeiam e me ignoram por 5 minutos.

4. Trensjapan-bullet-train-768x576

trem bala japonês

Crédito: Terrazzo

O sistema ferroviário no Japão está tão bem planejado e mantido que provavelmente explode sua mente quando você chega pela primeira vez. É tão bom,que você pode literalmente chegar a quase todo o Japão a partir da estação de trem mais próxima.

Se você estiver em Tokyo e sentir um súbito desejo de ir ao Hokkaido para saborear seu delicioso curry, é tão fácil como saltar em um trem local para a estação de trânsito de trem de bala mais próxima e BOOM! você está lá em 4 horas.

Sem problemas e os trens são limpos, convenientes e pontuais . Claro, as tarifas não são baratas, mas são absolutamente justas e a sensação de liberdade não tem preço !.

5. Alimentosjapan-sushi-768x512

sushi japonês

É por isso que você está aqui certo? O Japão tem os restaurantes com estrelas Michelin mais importantes do mundo, desde restaurantes franceses sofisticados de três estrelas até um recém-coroado lamen de uma estrela.A variedade de alimentos que você pode encontrar no Japão é surpreendente, e apesar do que muitas pessoas pensam, eles são principalmente muito acessíveis – na loja acima citada de Tsuni, apesar da classificação Michelin, os preços são quase iguais aos itens regulares .

Uma vez que você teve um gostinho do Japão, você definitivamente estará de volta por segundos lendo isso. Então, espero que não perca todas essas coisas sobre o Japão por muito tempo!

source-wowsabi.com

Publicado em Impressoes do Japão | Deixe um comentário

“Ação Quilometro/Hora” da Vasp

O SNA convoca os credores da Vasp que ainda não receberam os valores referentes ao processo “Ação Quilometro/Hora” para que entrem em contato com o sindicato para solicitar o repasse.

Caso você esteja nestas condições ou seja herdeiro de beneficiário falecido e ainda não tenha recebido, entre em contato com o SNA pelo e-mail jurídico@aeronautas.org.br ou pelo telefone 11 5531-0318 ramal 101.

Obs.: Desde maio de 2016 o SNA vem convocando para o recebimento dos créditos, porém muitos ainda não compareceram. Veja a lista de todos os beneficiários da ação no link https://goo.gl/nea35j.
DSCN1350 vasp minuaturas
http://www.aeronautas.org.br/index.php/not%C3%ADcias-secund%C3%A1rias/320-destaque-3/6169-credores-vasp-recebimento-dos-cr%C3%A9ditos-das-a%C3%A7%C3%B5es-%E2%80%9Cpilotos%E2%80%9D-e-%E2%80%9Ckm-h%E2%80%9D.html
15874796_10207558971684942_4118198808462653964_o

Publicado em VASP | Deixe um comentário

Animal na Cabine

Cachorrão chama atenção em voo; saiba em quais situações seu cão pode viajar na cabine
POR LÍVIA MARRAcao1-750x999
A presença de um cachorro na cabine de um avião da Latam chamou atenção dos passageiros, no mês passado. A imagem do animal sentadinho em uma poltrona foi enviada à Folha por um leitor que também fez o voo noturno entre Miami e São Paulo.

O passageiro, que prefere não se identificar, disse ao blog que, inicialmente, a presença do animal provocou confusão e que ninguém acreditava como havia sido permitido um cão daquele porte viajar e ficar no colo do tutor.

“Imagina abrir a comida ao lado de um cachorro na classe econômica, que é super apertada? E se a dona do cachorro quiser ir no banheiro? E se o cachorro quiser ir ao banheiro e não avisar?”, disse. Segundo ele, a tripulação realocou ocupantes de poltronas vizinhas em outros lugares.

Apesar do desconforto por parte de alguns passageiros e surpresa por outros, não é incomum que cães viagem nas cabines. O Bom Pra Cachorro apurou que, nesse caso, se tratava de um cão de assistência emocional. Eles apoiam e confortam, principalmente, pessoas com diagnóstico de ansiedade ou depressão.

Levar esse tipo de animal na cabine, sem custo, é previsto em resolução da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), que também inclui cães-guia. Eles devem ser treinados, estar identificados e precisam usar coleira, mas ficam dispensados de focinheira.

Além disso, algumas empresas aéreas permitem que cães de pequeno porte viagem com o tutor em caixas próprias, acomodados sob os bancos. Em outros casos, animais são transportados no porão da aeronave –as orientações sobre procedimentos podem variar conforme a companhia aérea.

Procurada, a Latam Brasil informou que o serviço de acompanhamento de cão-guia ou de assistência vale para todas as rotas, sujeito às restrições sanitárias estabelecidas pelos países de partida, chegada ou de conexão.

Para isso, o passageiro deve encaminhar uma declaração médica com diagnóstico que indique a necessidade de acompanhamento do animal, entre dez dias e 72 horas antes da viagem, para avaliação.

“O animal de acompanhamento emocional deve estar utilizando coleira ou arnês [uma guia peitoral] no momento da viagem e deve viajar junto com o passageiro, sem obstruir corredores ou saídas de emergência. Nos voos saindo do Brasil, não é permitido que o cão-guia utilize focinheira, mas é recomendável leva-la para precaução”, diz a nota.21462965_1930258473964805_6935195117588448192_n

No briefing de decolagem em Rio Branco (AC ),Comentei que ao terminar o Pião na cabeceira,pedi que o colega freasse a aeronave e colocasse potencia maxima-Era epoca de chuva no Norte e a pista estava em pessimas condições,cheia de buracos e queria utilizar o minimo possivel dela.Um pouco antes de terminar de alinhar,o colega com pouca experiencia travou os 8 conjuntos de freios e passageiros devem ter tido um certo desconforto…Tive que fazer um speech e inventar que um animal tinha entrado na pista ,obrigando  a essa parada brusca e pedi desculpas a todos pelo transtorno.Deu vontade de dizer que ele ainda estava a bordo….  (brincadeira hein ).

Acho que todos tem alguma experiencia para lembrar nessa transição para o jato.Uma das minhas, foi jogar a antena do radar para mapear e calcular a distancia para  Altamira que não tinha DME .Desci 5 minutos antes ,era um braço do rio Xingu …..

 

Publicado em Historias da Aviação, VASP | Deixe um comentário