Assim nasceu o Lear Jet

14462982_555671304619400_8244976073563431902_nEra 07/10/1963, à tarde, quando dois pequenos motores instalados no cone na cauda ecoaram no ar dando vida ao mais novo conceito de aeronave particular executiva. Era o primeiro prototipo do Lear Jet decolando da pista do aeroporto de Wichita, Kansas, para iniciar o voo inaugural sob o comando do piloto William Power Lear.
Naquele instante o Comandante Lear realizava seu sonho por haver criado uma aeronave mais adequada que as da época ao mercado de aviação executiva.
14446199_555671391286058_2126259537516609430_nComandante Lear ou BILL como era carinhosamente conhecido, projetou e construiu o que veio a ser o mais famoso dos jatos executivos. Tratava-se do seu primeiro projeto.
O pequeno jatinho já trazia em seu design a elegância das linhas aerodinâmicas e imprimia uma história, além do seu tempo, que viria consagrar-se muito bem sucedido.
William Lear era engenheiro eletrônico autodidata e proprietário da empresa Lear Developments especializada em instrumentos eletrônicos tendo desenvolvido os primeiros ADF, pilotos automáticos e rádios portáteis par a aviação.
À época as aeronaves executivas eram, principalmente, adaptações de aviões militares o que era visto por Lear como “grandes barcaças”, lentas e dispendiosas.
Tinha em sua mente que aeronaves executivas deveriam voar à velocidade dos jatos de companhia aérea.
Então, através de seu filho, conheceu um projeto sueco, o P-16, um avião bombardeiro que nunca foi produzido.14368652_555671267952737_5039873571879532668_n
Bill ficou impressionado com o projeto das asas e, de imediato, mudou-se para a Suíça em 1955 onde fundou a empresa Swiss American Aviation-SAAC, contratando o designer do P-16 juntamente com sua equipe. Assim, todos foram integrados à equipe americana.
Na época não se acreditava que o mercado fosse viável para jatos executivos, conforme proposto por William Lear, o que era compartilhado pelo conselho do fabricante de aviônicos Lear, pois não demonstraram interesse no financiamento do projeto o que o levou a renunciar à presidência da empresa, vender sua parte e investir sozinho no projeto.
Superada esta fase, Lear e sua equipe, lentamente, foram dando forma ao projeto que foi denominado Saac 23 Execujet. Mas havia um problema. Os estilos de trabalho dos americanos e suíços confrontavam-se e ainda havia a questão dos idiomas. Isso motivou o retorno de Lear para os EUA por entender que era o melhor local para desenvolver o projeto.
Em 1962 mudou o nome da empresa para LEAR JET CORPORATION e “meteu a mão na massa”.14372276_555671571286040_3533400328024735921_o
14446182_555671244619406_6385302637273110105_nMuitos afirmavam ser o jatinho um P-16 com fuselagem para passageiros, o que era compartilhado até por Lear. Mas não era.
Existiam similaridades entre o P-16 e o jatinho, principalmente as asas, que são a base do projeto. Embora não existissem componentes comuns entre os dois aviões, as pesquisas para o desenvolvimento do Lear Jet foram fatores de grande importância para a concretização do projeto.
Novidades:
1- Portas pequenas e leves bipartidas. A parte superior era para proteger o passageiro do sol e a de baixo transformava-se escada.
2- Para-brisas construídos em duas peças de acrílico com ângulo de visão de 270 graus. O uso deste material sofreu críticas quanto a resistência ao vento durante o voo. Lear, então, dentro do escritório colocou-as no chão e começou a pular em cima delas. Não se quebraram.
3- Simplicidade do painel de instrumentos
4- Poltronas confortáveis para pilotos e passageiros
5- A mudança mais importante em relação ao P-16 foi a configuração em “T” para a deriva, diferente da cruciforme do P-16, acrescentando ainda mais elegância ao projeto.
Em 15/9/1963 o Lear 001 fez o primeiro roll-out e seguiu para o primeiro voo e em outubro os dois outros protótipos 002 e 003 foram terminados e o programa de testes prosseguiu.
O acidente
Em junho de 1964 já no final da pista do aeroporto de Wichita o Lear 001 fez um pouso forçado num milharal provocado pelo esquecimento do piloto de testes do FAA e do piloto da Lear Jet Corporation que não recolheram os spoilers durante a decolagem. Inicialmente foi apenas a perda do trem de pouso permanecendo a fuselagem intacta. Mas, logo após os pilotos deixarem a aeronave, iniciou-se um incêndio que a destruiu completamente.
Para surpresa de todos Lear, de quem se esperava o desespero, ficou alegre. Motivo? Lear não tinha o dinheiro para custear a certificação do jatinho 001 e como a aeronave estava segurada, com o valor pago pela seguradora, certificou os prototipos 002 e 003.
No dia seguinte ao acidente, embarcou no protótipo 002 e voou até Reading Airshow, Pensilvânia, onde demonstrou o modelo à exposição aérea da indústria aeronáutica norte-americana quando palestrou de improviso esclarecendo o que motivou o acidente com o 001. Lear foi bem sucedido na demonstração do 002.
Atualmente a corporação canadense Bombardier, através da subsidiária Bombardier Business Aircraft, é proprietária da marca Learjet produzindo os modelos Learjet 60 XR, Learjet 75, Learjet 70 e Learjet 85, este com aplicação quase inteiramente em material composto na fuselagem e asas.14445071_555671617952702_5645163179853932221_o
A corporação Bombardier é um grupo de empresas do Canadá com sede em Montreal, Quebec, atuando na produção de vagões ferroviários, através da Bombardier Transportation e de aviões regionais, Bombardier Aerospace e outros serviços comerciais. Possui em seus quadros cerca de 64 mil pessoas.
Assim nasceu o Lear Jet e sua posteridade.

14469479_555671674619363_8693177489413226418_n14470488_555671651286032_6096041829576703636_n14409588_555671857952678_5894165115382014535_o14440884_555671317952732_8801756411918397826_n

14359228_555671964619334_5472835933134167539_n

Fonte: Osvaldo Vilhena

Esse post foi publicado em Historias da Aviação. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s