Boeing Guesthouse

82d9c_article-2553617-1B41B22400000578-291_634x398Toshikazu Tsukii, nascido no Japão em 1937, era um cadete da Academia Nacional de Defesa antes de se mudar para os Estados Unidos para estudar no Pasadena City College, depois na Universidade Estadual de Wichita e  Universidade do Colorado, com especialização em Engenharia aeronáutica, engenharia elétrica e matemática aplicada.

Foi diretor de Engenharia na Raytheon Missile Systems, onde trabalhou durante os últimos 41 anos e tem diversas patentes de transmissores e receptores para mísseis e contra-medidas eletrônicas.Possui licenças de piloto comercial e instrutor de vôo. Construiu dois simuladores de vôo móveis que usam jipes excedentes dos Correios – um com um cone de Cessna.52edb40a43127.preview-620

Um artigo de 1962 do Fort Scott (Kansas) Tribune o descreveu como um estudante de 24 anos graduado na Faculdade trabalhando como reparador de TV, técnico em eletrônica, pintor de sinais, instrutor de judo, artista, cantor Folk, guitarrista e espadachim Samurai.

Iniciou o projeto do avião, há quatro anos, quando viu o cone do nariz de um Boeing 737 em um “cemitério sucata” perto de Base da Força Aérea Davis Monthan.

Tsukii (o último nome soa algo como “Ski”, e  é assim  que todo mundo o chama) montou o   Boeing 737 e a cauda de um 727  numa garagens de metal que ladeiam uma pousada de dois andares construído a partir das seções da cabine de dois Boeings 707s.52edb452cf377.preview-620

Teve a sorte de estar vivendo em La Cholla Airpark, onde as 91 casas estão dispostas em torno de uma pista de pouso e muitas casas têm hangares de avião  em seus grandes lotes. “O fato de que todos nós possuirmos sete hectares ou mais fez a diferença”, disse Gil Alexander, vice-presidente da associação de proprietários da Airpark.

Usar Jatos na arquitetura não é especificamente coberto pelos convênios, códigos e restrições da associação, disse Alexander. “Foi incomum, e tivemos que pensar um pouco.”Provavelmente não teria passado a revisão do plano em outros bairros de Oro Valley, onde os estilos de construção são “nada muito eclético, bastante normais.”A exceção parece ser no Condominio de Tsukii, onde a cidade tem lidado com planos como abrigos e plataformas de observação no topo de hangares.

Embora o edifício tenha “uma série de aspectos que não se encaixam os nossos requisitos de código padrão”, Tsukii foi capaz de satisfazer o espírito, se não a lei. Ele tinha planos detalhados, bons e projetos de engenharia.

O vizinho Alexander, um engenheiro aposentado e piloto da Raytheon , disse que o projeto  agora é um ótimo lugar para realizar reuniões, como um realizado recentemente pela Experimental Aircraft Association.

52edb451b32db.preview-620

“É um lugar muito interessante dentro e bem iluminado”.A Luz vem de quatro fileiras de janelas do avião.Para ampliar o piso plano,  cortou uma fuselagem de 707 ao meio e ligou as duas seções com a segunda fuselagem.Isso criou muito espaço para amplos corredores entre os pares de poltronas de avião da primeira classe que  instalou.Ele usou flaps das asas excedentes para corredores e divisorias. Tem mesas com tampo de vidro da carenagem do motor de um DC-9 e roda de um B-57.

52edb40960eb0.preview-620É decorado quase totalmente com peças excedentes de avião – o vaso sanitário, lavatório e banheira são exceções.A piscina interior  é coberta com a fuselagem de um avião jumbo Boeing 747.

A esposa de Tsukii, Doris, que era uma estudante de Arte Dramatica em Wichita, Kansas, quando  conheceu seu futuro marido, revirou os olhos teatralmente quando ele pediu a sua primeira impressão nesse projeto de quatro anos, concluído em dezembro.

“Há coisas piores”, disse Doris, que vai comemorar 50 anos de casamento com Tsukii no próximo mês com um cruzeiro pelo Canal do Panamá. “Ele poderia estar se metendo em problemas. Eu tive uma vida emocionante com ele – uma vida boa – e  estou muito orgulhosa dele “.

Para Tsukii, a construção da pousada de hospedes realizou o último dos três objetivos de carreira que  estabeleceu para si mesmo na vida. Ele queria ser  aviador, engenheiro e arquiteto. Tambem foi o designer e construtor do projeto.
Aos 76 anos, Tsukii continua a trabalhar o tempo inteiro  para restaurar seus dois Cessnas , incluindo um  Cardinal 1977  que pilotou ate Kingman  para supervisionar o corte da seção da cauda do 727 em oito pedaços .

Ele perdeu a visão de um olho por glaucoma há quatro anos e teve que apresentar uma petição ao FAA para a sua licença. “Sou um dos 3.000 pilotos monoculares nos Estados Unidos”, disse ele.

Faz uso regular de sua piscina, subindo uma escada de corda para mergulhar de volta na água.52edb45244fbb.preview-620

Porque  começou esse projeto tão tarde na vida? “Tinha que ser feito agora”, disse ele. “Caso contrário, seria tarde demais.”

FHOTOS BY Mike Christy / Arizona Daily Star

Fonte:Tucson.com

Esse post foi publicado em Antiguidades, Historias da Aviação. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s