Os B-707 da VARIG

Dando continuidade a sua iniciativa de pioneira na era dos jatos no Brasil, em 1960 a VARIG incorpora os B-707 na época a mais veloz de todas as aeronaves fabricadas para a aviação comercial. Em 22 de junho de 1960 o primeiro Boeing 707-441, matriculado PP-VJA, chegou ao aeroporto do Galeão, já trazendo passageiros pagantes de Nova York.Varig_Boeing_707-320C_PP-VJX_ZRH_Sep_1981

A VARIG mudou de propósito sequência de matrículas, usando o “J” de “jato”. O número “41” no final do modelo, indica que a aeronave foi produzida para a VARIG.
Os Boeing 707 da série 400 (PP-VJA, PP-VJB e PP-VJJ) eram equipados com turbinas Rolls Royce Conway MK 508, mais econômicos que os Pratt & Whitney e conferindo maior autonomia. Isso permitia voar entre o Brasil e Nova Iorque sem escalas pela primeira vez na história e o voo agora durava cerca de 9 horas apenas. Para garantir um voo sem escalas, o Boeing 707-400 da VARIG operava nos limites máximos, exigindo toda a potência dos motores e o uso de quase toda a extensão da pista do Aeroporto Internacional do Galeão, no Rio, a maior pista do Brasil.
Depois da chegada da segunda unidade, o PP-VJB, a VARIG passou a oferecer três voos semanais sem escalas entre o Rio e Nova York, em 20 de julho de 1960. Enquanto os Caravelles voavam duas vezes por semana com escala em Belém, Port of Spain e Nassau ,os Super Constellation voavam duas vezes por semana com escala em Port of Spain ou em Belém e Trujillo.
Na década de 60 a pista do Aeroporto do Galeão passou por uma ampliação, impedindo temporariamente a operação dos 707. Os voos passaram então a sair do aeroporto de Brasília, a recém inaugurada capital do Brasil, até a conclusão das obras. O trecho entre Brasília e o Galeão era feito com os Caravelle.
Capaz de transportar até 150 passageiros, o Boeing 707-400 da VARIG era configurado para apenas 138 (48 assentos na primeira classe e 90 assentos na classe turística). O Boeing ainda contava com seis banheiros e um lavatório.
Em novembro de 1961 os Boeing 707-441 também passaram a operar na linha para Rio de Janeiro – Los Angeles, com escala em Lima, Bogotá e Cidade do México.
Na década de 70 os Boeing 707 começaram a ser progressivamente substituídos pelos Wide-Bodies. Em 1979 o PP-VJA e PP-VJJ foram vendidos para a RDC Marine e o PP-VJB sofreu um acidente nas proximidades de Lima em 1962.

Esse post foi publicado em Historias da Aviação. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s