Trotes na Vasp

Reminiscências de um ex-comissário da VASP no início da década de 1970.

Que Nojo!1924766_694073233987960_5306608149163101513_nOs trotes dos tripulantes da VASP eram sempre com espírito de brincadeira e camaradagem, e quase sempre eram improvisados com pouca antecedência. Depois do “Banho de Bússola’, já narrado aqui por mim, lembrei-me deste outro.

A recomendação era de que, sempre antes do embarque dos passageiros, as comissárias verificassem as boas condições de higiene das toaletes. Lembro-me bem das toaletes lustrosas de alumínio liso dos Boeing 737, cheirosos, com espelhos limpos, vasos higienizados, etc. Dessa inspeção nas toaletes elas deveriam dar um “OK” ao comissário chefe.

Certo dia, aguardamos que a colega novata subisse a bordo para seu primeiro voo, o que geralmente ocorria por volta de 45 minutos antes da decolagem. Ela chegou e fomos logo dizendo, com certa dose de “maldade”:

-Guarde suas coisas lá na galley traseira, e já pode ir fazer a inspeção nas toaletes. E informe qualquer irregularidade…

Dali a pouco, lá veio ela, horrorizada, chocada, com uma enorme careta de repugnância.

-O que aconteceu? — foi a pergunta que já estávamos prontos para fazer.

E ela:-A toalete dianteira está um horror! Credo! Venham ver. Há fezes por tolo lado, até nas paredes, com marcas de dedos! Que nojo! E tem papel sujo por todo lado!

Fomos ver. “Ninguém parecia acreditar” no relato da mocinha. Amontoamo-nos do lado de fora e um comissário entrou na frente. Olhou aquela nojeira nas paredes, lambuzadas com a mão, e , com calma, olhou para a colega  novata e acenouo afirmativamente com a cabeça. Em seguida, passou a mão na parede, naquela nojeira e, rapidamente, levou a mão ao nariz para cheirar e logo em seguida à boca, para “sentir o sabor”. Olhou então para ela e confirmou:

-É merda mesmo. Pode ir buscar o pano rápido para limpar essa nojeira! — e abriu a torneira com cara de repugnância para lavar as mãos.

Os colegas todos tiveram “ânsia de vômito” ao ver a cena e saíram pelo corredor do avião atrás da mocinha. A coitadinha foi buscar um pano para lipar “aquilo”.

Só depois que as paredes e o vaso estavam devidamente limpos a toalete foi dada como em boas condições de uso.

A novata, em seu primeiro vôo, sentiu-se muito azarada com a humilhação, limpando “aquilo” enquanto os colegas comentavam, do lado de fora da toalete, a falta de educação de certos passageiros, pois aquilo, afinal, foi “demais da conta”!

Pouco tempo depois, estávamos todos rindo juntos, e a novata jurava vingança, entre lágrimas e risos.

As “fezes” espalhadas pela toalete eram, na verdade um delicioso chocolate derretido, e prová-lo para que ela se enojasse, foi realmente divertido, com cada um fazendo seu devido papel.

E a única que não provou chocolate naquele dia foi…a novata!

Fonte-Comissario Bob-aeroeditor.blogspot.com.br
Todo aeronauta tinha o seu Batismo de Companhia e ninguém escapava -Mais uma de Chocolate…
Logo depois do pouso do B-737 em Ilhéus pedimos para comprar um presentinho para a recém-chegada numa lojinha do Aeroporto que também tinha chocolates eróticos desde a Vxxxx da Gabriela ate o Pxxx do Cabral que veio num embrulho bem discreto.Ela agradeceu a todos nos ate abrir o pacote e ficar ruborizada  ao ter que degustar o nosso presentinho de boas vindas..
Esse post foi publicado em Historias da Aviação, VASP. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s