Lucky Lady II

Primeira volta ao mundo sem escalas completa 65 anos.07

A primeira aeronave ,um B-50 ,a Global Queen decolou de Carswell dentro do cronograma e voou em direção ao leste. Passou a maior parte do Atlântico antes de problemas em um motor obrigarem os pilotos a abortarem a missão e pousarem nos Açores.Lucky Lady II, a substituta agora em uma posição para se tornar a estrela, decolou de Carswell  na manhã seguinte, 26 de fevereiro de 1949.

luckyladyiiwikipedia  Fuselagem do Lucky Lady II em museu de Chino, na Califórnia 

Foto: Wikipédia

A Segunda Guerra Mundial tinha acabado, a Guerra Fria já havia iniciado e os Estados Unidos queriam demonstrar seu poder aéreo para o mundo.

Depois que os soviéticos bloquearam o acesso terrestre a Berlim, em 1948, a necessidade de oferecer assistência humanitária aumentou ainda mais a importância das potências serem capazes de fabricar aviões que percorressem grandes distâncias.

O General das Forças, Armadas, Curtis LeMay, tinha assumido a liderança do Comando Aéreo Estratégico em outubro daquele ano e percebeu a importância de demonstrar as capacidades da Força Aérea americana tanto para desencorajar as ações da União Soviética, como para ganhar apoio de outros países. Realizar um voo ao redor do mundo seria uma ótima prova de que a Força Aérea dos Estados Unidos era capaz de projetar seu poder aéreo em qualquer canto do planeta, eliminando todas as barreiras e distâncias geográficas.

061025-F-1234S-035Enquanto o vôo foi uma tentativa descarada de promover a USAF e SAC , a Força Aérea teve o cuidado de mantê-lo em segredo , enquanto estava em andamento. O pessoal de terra que modificou os bombardeiros e navios de apoio não foram informados sobre a missão. Nem USAF informara a mídia, que mais tarde protestou pelo sigilo injustificado.

Para preservar a ilusão de que o vôo não era nada fora do comum , a Força Aérea elaborou um sistema elaborado para a apresentação de planos de vôo fictícios. A Lady  mudava a identificação  dos números de cauda  em cada ponto de reabastecimento para dar a impressão de que estava voando uma curta distância . A Força Aérea queria ser capaz de divulgar um sucesso espetacular, não ter que explicar uma falha muito cara.

O primeiro reabastecimento começou sobre os Açores pela manhã após a decolagem . Levou duas horas, tempo durante o qual o bombardeiro e o avião tanque permaneceram conectados e tiveram de manter uma formação cerrada . Foi cansativo esse trabalho.

Mais tarde naquele mesmo dia , a Lady passou por Gibraltar e em todo o deserto do Saara. Na manhã seguinte , ele fez o seu segundo reabastecimento sobre a Arábia Saudita. Desta vez , a transferência foi complicada por turbulência com os aviões passando através de uma linha de tempestades . A operação correu sem incidentes , mas, como Logbook do B -50 observou , os membros da tripulação estavam começando a mostrar sinais de fadiga.

Clima pesado sobre as Filipinas fez o terceiro reabastecimento ficar difícil  e a operação teve outros problemas. Em primeiro lugar, uma corrente na bobina da mangueira quebrou e teve que ser reparada. Em seguida , um avião tanque teve de voltar para a Base Clark por problemas e caiu, matando todos a bordo .

Aqui, também, o esforço para disfarçar a natureza do vôo quase falhou.A Base Clark tinha apresentado outro plano de vôo para Honolulu, com a intenção de mudar o prefixo para que a Lady pudesse voar a perna sem ser detectado. Quando um oficial de operações  em Clark percebeu que a distância estava além do alcance de um B-29 ficticio, ele foi afastado e a reportagem de capa da Força Aérea permaneceu intacta.

Mau tempo seguiu a tripulação para o Havaí e além. O quarto reabastecimento foi complicado novamente por problemas mecânicos  e a fadiga da tripulação a bordo do Lady tinha aumentado. Ainda assim, o B -50 continuou a missão e o fim de sua provação estava à vista.

A tripulação viu seu quarto nascer do sol sobre El Paso , Texas, e em 09:22 em 2 de março , a Lady II circulou a Base Carswell e pousou.Voou 94 horas e 1 minuto.

voyager_milestonesEm Dezembro de 1986, a Voyager, um avião prototipo desembarcou na Base Aérea de Edwards em Muroc, Califórnia, depois de ter concluído o primeiro vôo mundial sem reabastecimento.

Comandado por Richard G. Rutan e Jeana Yeager , foi feito de plástico e  papel , transportando mais de cinco vezes o seu próprio peso em combustível.Apesar das dores,mal cheiro e perigos de voar a Voyager, Rutan disse que o vôo “foi o último marco, sem dúvida, da aviação.” Foi na verdade um tanque de combustível voando, a Voyager decolou da pista principal da Base  Edwards no início da manhã de 14 de dezembro de 1986, usando quase todo os 15.000 fts de comprimento da pista e raspar um dos seus winglets das pontas das asas. Essa viagem durou nove dias,  três minutos e 44 segundos no ar e ainda tinha quase duas horas de combustível restante quando pousou. Enquanto os astronautas podem circular a Terra em 90 minutos.

Esse post foi publicado em Historias da Aviação. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s