O Sol Sempre Brilha

32fedsunnamed-651x365

Janelas são um empecilho para aviões: elas acrescentam peso extra, deixam o corpo menos resistente, e em geral reduzem a velocidade da aeronave. É por isso que o novo jato supersônico Spike S-512 não terá janelas. Em vez disso, os passageiros poderão ver seus arredores em tempo real através de telas panorâmicas no interior do avião.

O jato terá, na parte externa, diversas “micro-câmeras” que irão capturar o céu azul e as nuvens ao redor. As câmeras serão ligadas a monitores curvos, que se expandem por toda a extensão da aeronave, e darão aos passageiros uma vista sem precedentes. O brilho das telas pode ser reduzido se alguém quiser tirar um cochilo.

O jato S-512 foi proposto pela startup Spike Aerospace. Ele tem 40 m de comprimento e possui uma ampla cabine que transporta até 18 passageiros. Voltado para altos executivos, que precisam se deslocar com rapidez, o avião custará US$ 80 milhões. Uma viagem de Los Angeles para Tóquio, que normalmente dura 16 horas, levaria apenas 8 horas no novo jato.

O avião ultrapassa a barreira do som: sua velocidade de cruzeiro é de Mach 1.6, ou cerca de 2.000 km/h, mas ele pode chegar a até 2.200 km/h. Isso é mais rápido que o jato mais rápido do mundo, o Gulfstream G650 (que chega a Mach 0,875).

Este não é o primeiro conceito de um jato executivo supersônico. O Aerion SBJ, por exemplo, foi proposto em 2007 e promete chegar a até 1.900 km/h. No entanto, o primeiro modelo deve chegar ao mercado em 2021.

Por sua vez, a Spike Aerospace – criadora do S-512 – espera começar a entregar seu jato de luxo para clientes em dezembro de 2018. Por isso, ele deve ser o primeiro jato privado supersônico do mundo. Você pode ajudar a torná-lo realidade nesta campanha do Indiegogo.

Curiosamente, a ideia de substituir janelas por telas está se tornando uma tendência. Este mês, a Royal Caribbean revelou que, no seu mais recente navio de cruzeiro, os quartos mais baratos e sem janelas terão displays HD, fazendo parecer que há uma varanda.

Mas no futuro, será que essas mesmas telas poderiam ser usadas para mostrar não apenas o céu e as nuvens, como também filmes feitos especialmente para telas imersivas? Ou talvez estes displays também possam trazer conteúdo personalizado, fazendo passageiros verem um céu limpo durante turbulências, ou um nascer do sol depois de um longo voo internacional.

De qualquer forma, esta tendência de telas realmente não é muito drástica. Afinal, já passamos a maior parte das nossas vidas olhando para telas. Por que não torná-las maiores e mais onipresentes?

Fonte-[Spike Aerospace via Wired]

33-300x16834-300x168Já tinha visto  apartamentos com janelas que tinham visão obstruída por outros edifícios usarem estas telas com imagens captadas e gravadas em outros locais para diminuir a sensação de claustrofobia,aquarios virtuais sem ter que precisar alimentar peixes,etc.

Me lembra a sensação que tive como co-piloto de Navajo decolando de Congonhas com uma garoa fina ,que deixou o ceu cinzento a noite inteira e a manhã toda.Depois de 5 minutos de chuva,apareceu o ceu completamente azul,Sol brilhando e um tapete de Stratus a perder de vista,como um imenso Mar branco. Deixou uma lembrança inesquecível para um Manicaca.

Os astronautas para Marte e outros Planetas vão  ter que levar muitas imagens dessas..

Esse post foi publicado em Historias da Aviação. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s