Wide-Body da VASP no Salgado Filho (POA)

ban_vpComeçei a frequentar o bom e velho terraço aberto do antigo Aeroporto Internacional Salgado Filho (agora reaberto como Terminal 2) no final de 1989 e naquela época as tardes eram marcadas, entre outros, pelos Airbus A300 da Vasp (PP-SNL, SNM e SNN).  Lembro que o voo VP161 iniciava pela manhã no Nordeste e vinha descendo o país, passando por Guarulhos antes de chegar em Porto Alegre.
O retorno para Guarulhos e Nordeste (VP160) iniciava às 15:00 e como naquela época voos diretos para Congonhas estavam fora de cogitação certamente não era fácil conseguir assento disponível no Airbus. Com apenas 3 exemplares na frota, geralmente a mesma aeronave permanecia mais de uma semana na rota.
Em 1990 a Vasp foi privatizada e a partir do ano seguinte vimos uma invasão de novos Boeing 737-300 & 400, ofuscando a frota da antiga estatal. Então surgiram três McDonnell Douglas DC-10 na frota (PP-SOM, SON e SOV) para os sonhados voos intercontinentais pela Vasp! Alguns trechos domésticos como o VP140 POA-GRU de domingos também foram designados aos trijatos de fuselagem larga.
Já o DC-10-30CF N107WA da VaspEx também foi visto em Porto Alegre no curto período que operou com as cores da empresa brasileira. Mas a grande atração da frota de widebodies da Vasp foi o MD-11, símbolo da expansão internacional da Vasp. Quando as duas primeiras aeronaves chegaram no país houve apresentação também em Porto Alegre, inclusive com voo panorâmico para diversos convidados – alguns felizardos entusiastas da época participaram.
Nove MD-11 voaram com as cores da Vasp (PP-SOW, SOZ, SPD, SPE, SPK, SPL, SPM, SFA e SFD) marcando um novo padrão de serviços da companhia. Porto Alegre também recebeu várias vezes estas aeronaves, principalmente no VP140 POA-GRU e também algumas vezes na rota EZE-POA-GRU nos períodos de férias mais procurados.
Após o encolhimento da frota ocorrido a partir da desvalorização cambial de 1999 vimos o fim da era MD-11 na Vasp, fato que resultou na volta dos veteranos Airbus ao Salgado Filho até o encerramento das operações da companhia em 2005. Enfim, mesmo em épocas distintas, a Vasp sempre privilegiou passageiros e entusiastas de Porto Alegre com seus widebodies A300, DC-10 e MD-11.

Por Fernando C. Milke e Eduardo Milke

Esse post foi publicado em Historias da Aviação, VASP. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s