Senjafuda

IMG_1668Senjafuda , o que significa , literalmente, “marcas de mil santuários “,  são postados pelos visitantes no santuário para marcar a sua visita. Datam mais de 10 séculos quando Imperador Kazan ( 968-1008 ) ,  comemorou uma peregrinação a um templo ao escrever um poema e publicá-la na porta do templo .

Naqueles dias , apenas as classes privilegiadas eram capazes de efetuar peregrinações religiosas  e eles tentaram visitar tantos lugares religiosos famosos quanto fosse possível. Essa é a origem do termo ” mil santuários ” . Mais tarde, quando as viagens ficaram mais acessiveis para outras classes durante o Período Edo ( 1603-1868 ) , plebeus começaram a usar  e renova-los de uma maneira chic.

39191g1Existem dois tipos distintos de senjafuda : o tipo preto e branco com os nomes que você vê em santuários e templos , que são chamados Daimei nosatsu , e o muito mais colorido e elaborado kokan nosatsu , que eram negociados com outros entusiastas em eventos organizados especialmente para o efeito. O único lugar para ver isso agora é em museus ou coleções particulares . Os melhores são verdadeiras obras de arte , criadas por nomes hoje famosos em impressões Ukyo-e , incluindo Hiroshige, Eisen e Kuniyoshi.

Senjafuda é a essência do iki . Iki é um ideal estético japonês que foi desenvolvido nas cidades durante o Período Edo ( 1603-1867 ) . Refere-se a alguém que é sofisticado e despretensioso . Imagine  as mulheres elegantes e comerciantes  nas ruas ,usando  kimono com um pequeno senjafuda de madeira pendurado em seus cintos ou pescoço.

No Japão, todo mundo quer ter produtos concebidos  ou pelo menos personalizado para si. No Período Heian (794-1185) , senjafudas foram esculpidos em madeira . Cada um era projetado especialmente para a pessoa que encomendou , e incluia o seu nome e a área em que viveu.  Seguidores de santuários xintoístas deixavam seu senjafuda no santuário , na esperança de que as divindades se  lembrariam e iriam protegê-los. Nos séculos posteriores versões de papel colorido foram criados e eles eram deixados em santuários como adesivos,atualmente proibidos em alguns lugares por prejudicar a madeira .

82A88E44948E8E6D8358835E815B838B-thumbnail2O antropólogo americano Frederick Starr , também conhecido como Ofuda Hakushi , viajou por todo o Japão no início do século 20 . Ele pesquisou brinquedos e passatempos, incluindo a mania senjafuda , que era tão popular nessa época. Havia  clubes onde os membros trocavam cartões e desenvolveram uma fantástica variedade de modelos. Recebemos a inspiração para o nosso senjafuda daqueles tempos,que hoje virou de strap de celular a cartão de visitas.

Esse post foi publicado em Impressoes do Japão. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s