Deixa que eu restauro

Hobby começou há 50 anos quando ele comprou primeira aeronave. Cerca de 90% das peças dos veículos são produzidas por ele mesmo.

Um engenheiro mecânico de Araraquara (SP) encontrou no ar e na estrada um dos passatempos favoritos: colecionar aviões e motocicletas. São 10 aeronaves e 400 veículos de modelos raros. Para matê-los em funcionamento, o colecionador montou uma oficina na própria casa onde produz 90% das peças. Graduado em engenharia aeronáutica e mecânica, Murilo Leonardi começou o hobby há 50 anos. Mas só colecionar não era suficiente e o gosto pelas alturas fez com que ele comprasse o próprio avião.
“O primeiro que comprei foi uma aeronave americana de acrobacias. Você tendo o próprio avião vai onde você quer. É diferente de pegar um de aeroclube, que pode quebrar em uma manobra e você prejudicar um número enorme de pessoas”, contou.
O araraquarense possui atualmente dez aeronaves. O Fairchild (1943), usado no treinamento de pilotos da Força Aérea americana na Segunda Guerra Mundial é o que mais chama a atenção.
Para poder decolar e pousar quando quiser, o engenheiro aviador comprou uma fazenda e fez uma pista só para ele. Depois que ficou sem espaço para guardar toda a coleção, ele construiu o próprio hangar com capacidade para armazenar até 20 aviões.

Firechild, de 1943, foi o primeiro avião comprado pelo colecionador  (Foto: Felipe Lazzarotto/EPTV)Fairchild, de 1943, foi o primeiro avião comprado pelo colecionador (Foto: Felipe Lazzarotto/EPTV)

Motos- Com o espaço grande à disposição, Leonardi começou a receber também doações de motos.  A coleção conta com 400 modelos raros. Um dos veículos foi usado pelos nazistas durante a Segunda Guerra. Outro foi utilizado no Vaticano na época do Papa Pio XII.
Para o colecionador, as peças tem muito mais valor afetivo do que econômico. Ele possui uma motocicleta alemã cujo motor fica na roda dianteira. O modelo foi usado na Primeira Guerra Mundial. O araraquarense contou que um americano chegou a ir a casa dele para lhe fazer uma oferta.
“Na época eu tinha acabado de sofrer um acidente, quebrei a bacia em quatro partes. Para o desespero do meu pai, falei que não venderia, mesmo com o valor oferecido que dava para comprar uma fazenda de 100 alqueires. Meu pai quase morreu, falou que eu estava doente e que eu não respondia pelos meus atos”, brincou.
Oficina -Para manter tudo em ordem, o colecionador construiu uma oficina nos fundos da casa. Cerca de 90% das peças que precisa, como parafusos, porcas e eixos, são feitas no local.
Leonardi restaura atualmente um exemplar da primeira motocicleta produzida no Brasil, de 1952 com motor de 150 cilindradas. Mesmo as motos que não precisam mais de reparo ganham todo o cuidado.  “As motos para mim são como filhos, não tem como escolher a preferida”, contou.

Colecionador montou oficina nos fundos da casa para restaurar motos (Foto: Felipe Lazzarotto/EPTV)Colecionador montou oficina nos fundos da casa para restaurar motos (Foto: Felipe Lazzarotto/EPTV)
Do G1 São Carlos e Araraquara
Me lembrou o Fairchild PT-19 movido a Manivela do curso de instrutor,so falta o PQP para proteger a cabeça…
Esse post foi publicado em Antiguidades, Historias da Aviação. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s