Levados pelo Vento

image001-rsm2O governo dos EUA amordaçou os meios de comunicação na epoca.Fazer qualquer menção aos balões era proibido , com medo de que se os japoneses soubessem dos estragos, pudessem ser incentivados a enviar mais desses artefatos belicos.

Uma pratica normal de todos os Governos do Mundo para não alarmar a população Civil, classificando muitas ocorrencias como Top-Secret as vezes  por 50 anos,alimentando  muitas Teorias Conspiratorias sem fundamento,desde  Area 51 ate a HAARP por esconderem dados .

Durante a Segunda Guerra Mundial, os japoneses conceberam a idéia de lancar bombas incendiárias-風船爆弾  Fūsen Bakudan-( “bomba levada pelo vento”),em represália depois do Doolittle Raid a Tokyo, anexando-as a estes balões que eram liberados com ventos do leste nas Jet Streams usadas para navegação  aerea (acima de 30 mil pés) para flutuar por 5.000 milhas através do Pacífico norte.

A idéia era que estes dispositivos explodissem sobre as regiões das florestas do Noroeste do Pacífico e iniciassem grandes incêndios florestais que poderiam vir a desviar combatentes dos EUA do teatro de Guerra do Pacífico para combater incêndios em casa.

Os incendios florestais causados pelos Bombardeios Aliados no Japão tem efeitos ate hoje ,com o extenso programa de reflorestamentos de  alguns tipos de arvores que deram origem aos inumeros casos de Cafuncho todos os anos.

image003smOs balões foram montados a partir de imensas folhas de papel de amoreira, colados com farinha de batata e cheios de hidrogênio . Eles tinham 33 metros de diâmetro e poderia levar cerca de 1.000 libras, mas a parte mortal de sua carga era uma bomba de 33 lbs de fragmentação anti-pessoal, ligado a um longo fio de 64 metros que tinha a intenção de queimar por 82 minutos antes de detona-la. Os japoneses programaram os balões para liberar o hidrogênio se ascendessem a mais de 38.000 pés, e para deixar cair pares de sacos de areia cheios de lastro, se o balão descesse abaixo dos 30 mil pés, usando um altímetro a bordo. Três dúzia de sacos de areia cheios de lastro eram pendurados em uma roda de alumínio de 4 raios que era suspenso abaixo do balão, juntamente com a bomba. Cada saco de lastro pesava entre 3 e 7 quilos. Os sacos foram programado para serem lançados aos pares em lados opostos da roda de modo que o balão não seria inclinado de um lado para outro, liberando um pouco do precioso hidrogenio. Desta forma, os balões subiriam no calor da luz do dia,nos dias da travessia e desceriam a cada noite, até que os seus sacos de lastro fossem esgotados, momento em que o balão e o seu conteúdo mortal cairiam sobre o que estivesse por baixo.Os primeiros balões foram lançados em 03 de novembro de 1944 e começaram a aterrar nos Estados Unidos em 05 de novembro ( San Pedro, Califórnia) e no dia seguinte (06 de novembro) indo pousar em lugares tão longe quanto Thermopolis, Wyoming. 285 aterragens / avistamentos confirmados foram detectados em uma ampla área, que se estendia desde as Ilhas Aleutas, no Canadá e em toda a largura e extensão do território continental dos Estados Unidos: até o sul de Nogales, Arizona (na fronteira com o México) e ao leste,em Farmington, Michigan (10 kms de Detroit). A maioria dos sacos de lastro foram liberados na viagem através do Pacífico norte, mas alguns balões cairam sem explodir , os sacos de lastro foram recuperados e por meio de analises quimicas, foram descobertas sua origem e local onde foram feitos .Apos fotografarem as fabricas,elas foram destruídas por bombardeiros B-29 baseados nas Ilhas Mariannas em abril de 1945, pondo fim ao projeto da Bomba-Vingança.

Esse post foi publicado em Impressoes do Japão. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s