Os Luftwaffe FW-190 da Armee de l’Air

 

 

 
SNCAC NC-900 o FW-190 francês
By Vinna

Logo após o fim da segunda Guerra a França tinha necessidade de reerguer suas instituições e manter o emprego das pessoas durante o conturbado período do pós guerra. Uma das gestões mais inusitadas neste sentido se deu, por exemplo, na iniciativa de dotar a Armee de l’Air dos caças alemães FW 190. Os caças seriam montados a época ao custo de 1,5 milhões de francos contra 12 milhões que era o custo de um Spitfire Inglês. Além disso, capacitaria pessoal para posteriormente desenvolver e construir um novo caça Francês.
Foram montados cerca de 65 unidades do FW-190 no período de 1945 a 1946 pela Société Nationale de Construction Aéronautiques du Centre – SNCAC (alguns a denominam de SNCA aircraft company) estabelecida em Cravant (local conhecido durante a guerra por campo 918) onde chegaram a trabalhar cerca de 600 e 900 pessoas.
O local havia sido um centro de manutenção da Luftwaffe e lá foram encontrados em 1944 cerca de 127 fuselagens e 162 conjuntos de asas do FW-190 em perfeito estado. No local também foram capturados 4 FW-190 A-5 e 4 A-8 que estavam sendo revisados e haviam passado por manutenção.
Posteriormente foram sendo enviados ao local peças e partes de outros caças FW-190 que foram encontrados em território francês. Nesta mesma época ainda em 1944, na cidade Francesa de Dordonha (região Aquitânia), os aliados capturaram um carregamento de 100 motores BMW 801 para o FW-190. Os motores estavam armazenados em uma fábrica subterrânea nas cavernas da região. O local é tão importante que estas cavernas são usadas ainda hoje como depósito do Exército Francês. De posse de todo esse material e ferramental Alemão os Franceses planejaram inicialmente montar 125 caças sob a designação de AAC6 (Alguns AAC5 ver fotos), ou NC-900 NC.900.
O Primeiro AACR-6 reconstruído em Cravant decolou da Base Aérea de Auxerre em 31 de dezembro de 1944. O pessoal envolvido na montagem então foi sendo gradativamente aumentado até que se chegou a quantidade de 800 pessoas e desta forma criou-se uma linha de montagem com 15 postos de montagem.
Primeiro avião já designado NC-900 voou em 16 de março de 1945 e tinha a matricula AAC6 N °1 era um FW-190 do modelo A-5 e que no dia seguinte voou acompanhado de um modelo A-8. Ambas as aeronaves acabaram certificadas em Marignane. Entre os dias 19 a 25 de abril o modelo A-5 foi submetido a testes em especial o de velocidade sob o comando do coronel Rozaneuf.
O AAC6 N ° 2 (segundo protótipo) iniciou seus testes de solo em 2 de maio de 1945 e acabou certificado em 11 de maio de 1945. Depois disso foi dada à ordem para a “construção” de 11 aeronaves. Em 30 de janeiro as primeiras unidades já estavam prontas para uso militar. 7 foram enviadas para o aeroporto de Le Bourget 1 de fevereiro de 1946 e 7 outros modelos seguiram o mesmo caminho 15 dias depois.
Ocorreram vários problemas com a linha de montagem da nova aeronave. Peças foram sabotadas e o uso indiscriminado de peças recondicionadas levou a ma qualidade das aeronaves montadas. Isso obrigou a revisão da meta inicial de 125 caças e no final apenas 65 aeronaves (alguns falam em 64 outros em 70) “novas” foram efetivamente montadas. A fábrica em Cravant acabou fechada em 18 de dezembro de 1946.
No âmbito da Armee de l’Air o FW-190 só serviu em serviço por alguns anos, antes de mais caças modernos serem adquiridos. O principal operador do NC-900 foi GC 111 / 5 Normandie Niemen, que recebeu apenas quatorze NC-900s que operaram o aparelho por 18 meses. As aeronaves restantes cerca de 51 foram utilizados pela CEV – Centre d’essais en vol em Brétigny (Centro de ensaios de voo de Brétigny). Os FW-190 franceses acabaram por ser utilizados para voo de instrução tendo o vôo final do NC-900 sido realizado em 22 de Junho de 1949. Há relatos que algumas aeronaves se mantiveram em linha de voo até outubro daquele ano.
O último NC-900 é o de número 62 que remaneceu preservado e posteriormente foi restaurado nas cores da JG26 e está em esposição no Museu do Ar em Le Bourget. (imagem acima)

Esse post foi publicado em Historias da Aviação. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s