Osorezan -Entrada do Inferno e Paraiso

Uma médium com seu assistente no Monte Osore no Japão, um local budista sagrado  dentro da cratera de um vulcão adormecido.

Durante duas vezes por ano sao  realizadas festas religiosas, e os visitantes vêm de ônibus  para esperarem ante uma fileira de pequenas tendas em um canto do templo, por horas a fio. Dentro estao “itakos” – idosos, muitas vezes, mulheres cegas que fazem sessoes, com cerimônias em que os clientes esperam que lhes permitirá comunicar com espíritos dos mortos.Essas médiuns espirituais parecem fora de lugar em um país hiper-moderno mais conhecido por trens-bala e carros híbridos. Encontrados apenas em áreas periféricas como este vulcão no extremo norte da ilha principal do Japão, e  vagamente conhecidos pela maioria dos japoneses, as itakos estão entre os últimos adeptos remanescentes das crenças xamânicas antigas que antecederam o budismo e as formas modernas de xintoísmo, duas principais religiões do Japão ,ha 1.400 anos atras, dizem os historiadores.Elas sobreviveram aos esforços do governo para eliminá-las, bem como ao desprezo  de muitos japoneses, que olham para eles como charlatães que negociam a superstição popular. Mesmo o abade  do Bodai-ji, disse que as itakos não estavam ligados ao templo.Agora, no entanto, até essas itako restantes estão desaparecendo. Apenas quatro  apareceram no Monte Osore no festival de verão este ano, três outras morreram de velhice no ano passado. Keiko Himukai, conhecido entre os crentes como a última itako – parou de vir este ano por motivos de saúde.”Podemos ver uma chama muito antiga morrendo diante de nossos olhos”,o historiador Himukai disse em uma entrevista . “Mas as tradições têm que mudar com os tempos.

Junichi Tonosaki, outro historiador do museu provincial em Aomori, onde está localizado o Monte Osore, disse que o número de itakos havia caído para 20 há uma década. Elas começaram a se reunir no Monte Osore no século passado, quando começaram a diminuir em numero, para tornar mais fácil para os clientes  encontrá-los.Os historiadores dizem que as médiuns xamânicas Itako  eram comuns em todo o Japão em tempos medievais, quando esta era muitas vezes a única ocupação disponível,alem de serem massagistas, para os cegos. Mas eles foram sendo suprimidos no final do século 19,quando o Japão construiu uma nação moderna. Nos últimos tempos, eles sobrevivem apenas na zona rural do norte do Japão e no sul da ilha de Okinawa.

Osorezan é classificado junto com o Koyasan,abaixo (Wakayama Ken) e

onde repousa Kobo Daishi ,fundador do Shingon,nao foi cremado e recebe oferendas de refeicoes diariamente ,ja que nao o consideram falecido. construiu 88 templos, que hoje os peregrinos fazem como  na Europa o Caminho de Santiago de Compostela,visitando e carimbando num caderno, tambem Hieizan abaixo (Shiga Ken ) e outro dos três lugares do Japão mais sagrados.

. Foi descoberto mais de 100o anos  atrás pelo monge budista Jikaku,  em busca de uma montanha sagrada que lembrasse o mundo de Buda e a semelhanca do Koyasan ,tem o relevo no formato da flor de lotus. Hoje, é o site do Templo Bodaiji  que e reconstruido desde 862.

Osorezan é traduzido como “Montanha do Terror”, um nome que vem em parte da paisagem excepcional da montanha. A área é rica em atividade vulcânica, e um forte cheiro de enxofre permeia o ar. O chão é cinza e estéril , marcado por aberturas em que a água  borbulha ,soprando ar quente com cheiro de ovo podre.

 Lake Usori, localizado ao lado do templo, é colorido com vários tons de azul, devido ao seu alto teor de enxofre.

 Osorezan também é conhecida como entrada para outra vida, porque apresenta elementos geográficos semelhantes às descrições budistas do inferno e paraíso, incluindo oito picos ao redor e um rio, Sanzu no Kawa, que tem de ser atravessada por todas as almas mortas a caminho de vida após a morte e é muitas vezes comparado ao rio Estige da mitologia grega antiga.

Entre as almas que tentam atravessar o rio,muitas são  das crianças mortas e fetos que constroem montes de pedras ao longo do leito do rio em uma tentativa para chegar ao outro lado. Eles são apoiados por Jizo, um bodhisattva popular do budismo japonês , que protege as almas dos demônios, que constantemente tentam destruir as pilhas de pedras.

Estátuas de Jizo são comuns em torno do Osorezan e no pais inteiro sao vistas, assim como as pilhas de pedras e seixos. Os pedregulhos são as ofertas para Jizo por pais de crianças mortas na esperança de que ele va usar as pedras para ajudar seus filhos a ter acesso ao paraíso.

Esse post foi publicado em Impressoes do Japão. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s