Cargas Estranhas, Perigosas e Incompetentes….

    No auge da exploração  da Serra Pelada  era normal na escala em Altamira e Santarem, chegar de repente nesses aeroportos um carro-forte com segurança redobrada e embarcar 300 a 500 kgs de ouro para conexão  em Belem com destino a Brasilia .No de Altamira nem havia torre ainda, so uma Radio,nem sei como nao houve assaltos,que seriam muito faceis.Na pista no meio da mata e sem vigilância,interceptar o avião e seria so abrir os porões  de Carga que não tem chave.Certa vez pousando em Altamira,o operador da radio me alertou que estava escutando um aviao  decolando sem informar plano de voo e sem contato na fonia.

Tive que arremeter e aguardar ate que ele livrasse a area e ja informando o Centro -Belem  via SSB do incidente para providencias desse ato perigoso.

Numa outra ocasião,nesse mesmo aeroporto,  pousei logo apos um tiroteio entre 2 pilotos brigando por frete para o garimpo.Em alguns lugares assim,decolavamos com razão  maxima para sair logo da area indigena-era como chamavamos aqueles pequenos aviões  de garimpo com nomes como Piper Seneca,Navajo,etc.

A maior carga embarcada de ouro que tenho conhecimento foi num VASP Cargueiro 727 que levou quase 12 toneladas para a reserva do Banco Central…teve quem pensou em despressurizar e levar para a Bolivia….

Outra foi um equipamento de Cesio-137.Como havia acontecido  um vazamento em Goiania,que hoje esta enterrado em concreto e chumbo em Abadia de Goiania por pelo menos mais  160 anos,tive que consultar o manual de cargas restritas ,verificar o acondicionamento em chumbo e falar com a medica que fazia o  acompanhamento.Em retorno de emergencias  e preciso informar a Torre de Controle a localização  no porão  da carga radioativa para a equipe de resgaste .

Como cargas restritas tem um preço diferenciado e custo bem mais alto, ja houve ate assentos perfurados por vazamentos de produtos levados no compartimento de pax e consequente prisão  de quem o transportava.Não  pode-se alegar ignorância de leis,nem de conteudos levados a bordo.

Uma vez meu amigo Laz… num E-110 Bandeirante Cargueiro pousou vendo 3 pistas e quase desmaiando por vapores toxicos de uma carga que estourou.

Numa epoca de renovação  de pessoal da VASP,fui ao Rio de Janeiro de Boeing 737-200, buscar dinheiro da Casa da Moeda para o Nordeste e o Departamento de Carga so tinha verificado o valor,so que eram moedas e um peso absurdo.Apos horas de discussão e negociação ,acabou indo de Varig.

A pior foi um B-737 Cargueiro lotado de componentes eletronicos para montagem na Zona Franca chegar em Manaus, e como havia troca de turnos da manutenção  na madrugada,so foi reabastecido e outra tripulação  trouxe de volta a Brasilia-quase 9 horas de voo desperdiçadas.

Numa decolagem de um Cargueiro em Viracopos de madrugada,bateram na porta da cabine.O co- piloto não  queria abrir a porta,mas era so um mulato do carregamento,que tirou um cochilo em cima do pallet e estava branco de susto com o barulho da decolagem.Voltou de onibus de Brasilia,ja demitido.

Caixões  sem lacre obrigatorio vazando na bagagem,uma morta viajando de madrugada para o Rio,cocaina entupindo o sanitario em Corumba,ate um leão  que estava levando de Congonhas para João  Pessoa e apos 8 pousos,ele estava tão  estressado que conseguiu abrir um lado da jaula e ninguem queria descarregar as malas com medo.

Fui para o hotel descansar e devem ter chamado um veterinario para aplicar calmantes na fera….

Esse post foi publicado em VASP e marcado . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s