Madrugada de Natal em Maceio

  Chuva forte na chegada em Maceio.O hotel nos espera com uma ceia antecipada para depois liberar os funcionarios para a festa natalina.Na primeira aproximação nao avistei a pista no ponto critico e arremeti.Uma torre de radio local impede que seja feita uma aproximação de precisao que estava nos limites operacionais .
Tento fazer um pouso na pista oposta para ver se a visibilidade esta melhor.Nesses casos normalmente quem pousa e quem nao esta pilotando e monitora tambem as luzes da pista.O tempo de acomodacao visual para enxergar a pista e curto demais para fazer a transição painel-pista de pouso e quem não esta pilotando, nos segundos finais consegue avistar.
O colega pousa e a pista some,nem as luzes da mais para ver,como se estivessem apagadas.Nesse momento o 737-200 aquaplana e sai de lado.54 toneladas percorrendo 70 mts por segundo.So da para pensar nos filhos sentados na cabine,desarmar o reversor,chutar o pedal para onde imaginamos estar o meio da pista e ambos frearmos ,ate estourarem 2 pneus queimados com o atrito da agua.Natal inesquecivel e mais uns cabelos brancos…….

Esse post foi publicado em Historias da Aviação, VASP e marcado . Guardar link permanente.